Anuncie aqui

Família faz vaquinha para custear pós-cirúrgico de bebê

0 59

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Josanie Branco

Juntos há 13 anos, Renata e Rodson sempre tiveram cumplicidade, carinho e respeito, valores que também foram moldando as duas filhas do casal, Manoela e Antonela, donas de sorrisos encantadores. No início de 2020, para alegria de todos, Deus enviava mais um anjinho para a família, o nome Bento, definido ainda durante a gestação, foi escolha das irmãs. Com um pré-natal dentro das normalidades, a chegada do bebê era prevista para o mês de outubro, porém em uma das consultas de rotina de Renata e a solicitação de exames, foi diagnosticado que Bento tinha restrição de crescimento, arritmia, centralização e cardiopatia congênita. Naquela ocasião os médicos constataram que essa patologia era uma característica provável em crianças com síndrome de down.

Ao receberem a notícia, Renata e Rodson em nenhum momento questionaram ou se entristeceram, mas buscaram forças em Deus e começaram a escrever uma nova página em suas vidas.

Para manter a gestação e garantir a formação do pequeno Bento, Renata precisou permanecer hospitalizada até o parto. Mesmo chegando ao mundo um mês antes do previsto, Bento nasceu lindo e encantador, no dia 17 de setembro de 2020. Como previsto nos exames finais da gestação, ele era portador da síndrome de down e trazia consigo aquela dose extra de amor que só quem é especial tem.

Desde o dia do seu nascimento, ao lado da mamãe, Bento passou a maior parte dos seus dias internado na Maternidade da Criança, em São José do Rio Preto. Para a alegria da família, o pequeno Bento pôde ir pra casa passar as festas de final de ano com a família e receber o carinho do papai, mamãe e das irmãs.

Hoje, ainda mais forte e sorridente, aos 04 meses de vida, 3.385kg e 52cm, ele está de volta ao hospital, sempre acompanhado da mamãe, em sua quarta internação. Bento está sendo preparado para a cirurgia corretiva do septo atrioventricular de forma total.
Durante as internações, Bento também foi diagnosticado com hipotireoidismo, refluxo, displasia broncopulmonar, alergia a proteína do leite e insuficiência cardíaca. Ele precisa da ajuda de oxigênio para respirar e sonda para se alimentar, faz uso de 10 medicações diárias.

Para facilitar o tratamento, a família, que sempre morou em Fernandópolis, está residindo em São José do Rio Preto há cerca de um mês. Renata deixou seu emprego como vendedora para cuidar em tempo integral do filho caçula e Rodson continua trabalhando em Fernandópolis em uma estamparia, para manter o sustento da casa. Com o apoio de familiares e amigos, eles estão vencendo dia após dia, porém nesse momento necessitam mais uma vez da solidariedade de todos para ajudar nos custos pós cirúrgicos do Bento, para isso foi criada uma “Vakinha do Bento”, que tem como meta arrecadar o valor necessário para seu tratamento.
Após a cirurgia, o ‘pequeno-grande Bento’ vai precisar de fisioterapia, fonoaudiologia, TO, acompanhamento com cardiologista, nutricionista, pneumologista, endocrinologista e pediatra. Qualquer quantia doada é bem-vinda.

Quem puder colaborar, basta acessar: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/bento-coracao-valente-cardiopatia-congenita-sindrome-de-down ou clicar aqui (Vakinha).

“O Bento nos ensina a cada dia como ser melhores, ele nos fez rever valores e o quanto Deus cuida da gente a cada minuto. Creio que meu filho, que já é um vencedor, conquistará mais uma grande vitória, ele é guerreiro, é um anjinho que chegou em nossas vidas para trazer alegria plena, pureza e amor. Agradeço o carinho e a colaboração de todos e peço que orem por ele”, disse a mamãe Renata Rodrigues Pereira.

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Comments
Loading...