Take a fresh look at your lifestyle.
criamos-site-scaled
1040x150229351348446959154-1
4DC79665-9164-4178-B0E7-45B1537A23B8
criamos-site-scaled
53B2AF77-A8B3-42F4-A5FB-4B17E3049F45

Interior de SP registra caso suspeito da doença da urina preta

0 64
criamos-site-scaled
1040x150229351348446959154-1
4DC79665-9164-4178-B0E7-45B1537A23B8
criamos-site-scaled
53B2AF77-A8B3-42F4-A5FB-4B17E3049F45

Uma mulher de 31 anos está internada em Americana (SP) com suspeita de Síndrome de Haff, enfermidade que ficou conhecida como a “doença da urina preta”. Além da urina escura, a paciente apresentou náusea, vômito e distensão abdominal.Crédito: Elle Hughes/PexelsInterior de SP registra caso suspeito da doença da urina preta

Ela está internada no Hospital da Unimed de Americana, e a confirmação da doença depende do resultado do exame, feito em um laboratório de referência em Santa Catarina.

Não foi divulgado a data do início da hospitalização e quando o laudo será entregue.

O Norte e o Nordeste do Brasil já confirmaram casos da doença da urina preta neste ano.

Doença da urina preta

utiCrédito: Marcello Casal jr/Agência BrasilVigilância Epidemiológica investiga o caso e aguarda laudo laboratorial

Recomenda-se que, aos primeiros sintomas, o paciente busque uma unidade de saúde imediatamente e identifique outros indivíduos que possam ter consumido do mesmo peixe ou crustáceo para captação de possíveis novos casos da doença.

Os profissionais de saúde a observarem a cor da urina (escura) como sinal de alerta e o desenvolvimento de rabdomiolise, pois neste caso, o paciente deve ser rapidamente hidratado durante 48 a 72 horas.

Também pede para evitar o uso de antiinflamatórios e na ocorrência de casos suspeitos, recomenda-se exame para dosagem de creatinofosfoquinase (CPK), TGO e monitorização da função renal.

Comments
Loading...