Take a fresh look at your lifestyle.
criamos-site-scaled
1040x150229351348446959154-1
4DC79665-9164-4178-B0E7-45B1537A23B8
criamos-site-scaled
53B2AF77-A8B3-42F4-A5FB-4B17E3049F45

Mãe bate no filho e chama a polícia para si mesma

0 38
criamos-site-scaled
1040x150229351348446959154-1
4DC79665-9164-4178-B0E7-45B1537A23B8
criamos-site-scaled
53B2AF77-A8B3-42F4-A5FB-4B17E3049F45

Uma mãe de 30 anos foi levada à delegacia após bater no filho, de 10, e chamar a polícia para si mesma.

As agressões aconteceram depois que o menino teria furtado um pacote de biscoitos do vizinho, no bairro Mantiqueira, na região de Venda Nova, em Belo Horizonte.

Segundo o boletim de ocorrência, a mulher, cuidadora de idosos, relatou que a criança vinha praticando pequenos furtos na casa de parentes próximos enquanto ela saía para trabalhar. Por serem familiares, a situação foi resolvida sem o envolvimento da polícia.

No entanto, na noite desta quarta-feira (22), ao chegar do trabalho, a mãe foi comunicada pelo vizinho que o garoto teria cometido o furto dos biscoitos. Alegando que já o “corrigiu” outras vezes, ela se descontrolou, pegou um cabo de rodo e bateu no filho.

A criança teve vários hematomas nas costas e sofreu um corte na testa. Em seguida, a própria mulher ligou para o 190. O menino saiu à rua pedindo socorro e foi acudido pela população.

Os militares avisaram o Conselho Tutelar e levaram o garoto para a UPA Venda Nova, onde ele recebeu atendimento médico e ficou em observação.

Criança foi levada à UPA Venda Nova, em Belo Horizonte, para atendimento médico — Foto: Reprodução / TV Globo

Criança foi levada à UPA Venda Nova, em Belo Horizonte, para atendimento médico — Foto: Reprodução / TV Globohttps://16d8670db97bcdd68b36a29dc17b8000.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

A mãe foi encaminhada à Delegacia de Plantão Especializada em Atendimento à Mulher, na Região Centro-Sul da capital, para prestar depoimento.

g1 procurou a Polícia Civil (PCMG) para saber o que vai acontecer com a agressora e a vítima. Em nota, o órgão informou que “foi instaurado procedimento para apuração dos fatos” e “por não cumprir os requisitos legais para a ratificação do estado de flagrante, a mulher foi ouvida e liberada”.

Sobre a criança, a PC ainda disse que ela “passará por escuta especializada nos próximos dias na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, que dará prosseguimento às investigações”.

Comments
Loading...