Anuncie aqui

Preços dos combustíveis disparam nos postos de Rio Preto

0 7

Desde o início do ano, o preço do litro do etanol registra uma curva ascendente nos postos de combustíveis de Rio Preto. Ontem, era possível encontrar o litro do biocombustível sendo vendido por R$ 4,499 – o maior valor já registrado na cidade. Esse preço representa um aumento de 18,4%, ou de R$ 0,70, em relação ao preço mais caro praticado na última semana de abril, quando o litro do etanol era encontrado por R$ 3,799, como mostrou pesquisa Economize, feita pelo Diário, e publicada na ocasião. Em outras revendedoras, os preços variam entre R$ 4,249 e R$ 4,359.

No mês de março, o preço do biocombustível registrou uma queda nas bombas devido à baixa procura durante as duas semanas de lockdown na cidade. Na ocasião, era possível encontrar o preço do litro sendo vendido a R$ 3,299. Com a flexibilização, a demanda voltou a subir e foi acompanhada pelo aumento nos preços.AdChoicesPUBLICIDADE

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sincopetro) de Rio Preto, Roberto Uehara, diz que os donos das revendedoras foram pegos de surpresa. Ele conta que os novos valores foram repassados pelas distribuidoras na última terça-feira. “Eles brecaram o faturamento dos novos pedidos. Foi quando soubemos que iria haver uma alta muito grande”, diz. Ainda de segundo Uehara, a justificativa por parte das usinas produtoras de cana-de-açúcar é de que houve uma quebra na safra provocada pela falta de chuvas.

Segundo a União da Industria de Cana-de-Açúcar (Unica), a produção de etanol na região Centro-Sul do País caiu 19,9% na segunda quinzena de abril devido ao período de estiagem.

A queda na produção da cana-de-açúcar provoca impactos também no preço da gasolina, diz Uehara. Ele explica que na composição do combustível derivado do petróleo são adicionados 27% de etanol anidro. “Esse etanol também está em falta e acabou tendo um repasse na gasolina, fazendo com que ela tivesse alta também”.

Com o aumento, o etanol pode deixar de ser vantajoso. Ontem, uma revendedora na avenida Bady Bassitt vendia o litro da gasolina por R$ 5,489 e o de etanol por R$ 4,359 – sendo que o etanol representa 79% do preço da gasolina. Na última semana de abril, o mesmo local vendia os combustíveis a R$ 5,189 e R$ 3,569 respectivamente. Na ocasião o biocombustível representava 69% do derivado de petróleo.

Além da safra, o economista e professor da USP Luciano Nakabashi atribui outros fatores que influenciam na escalada do preço do etanol. Um deles está associado ao preço do barril do petróleo no mercado internacional, que reflete no preço da gasolina. “Quando a gasolina sobe, aumenta a demanda por etanol e a oferta não varia a curto prazo, o que também faz que o preço aumente na usina”.

E, esse aumento na demanda justamente em um momento no qual as usinas diminuem a produção de etanol para aumentar a exportação de açúcar. “Se compararmos com os últimos anos, [as usinas] têm colocado mais parte da moagem da cana para produção do açúcar, já que ele está mais interessante no mercado internacional devido à depreciação do Real”.

A última movimentação de preços promovida pela Petrobras havia sido no início deste mês, entretanto foi de baixa nos valores da gasolina e do diesel nas refinarias. Mas, neste ano, a alta acumulada no preço da gasolina é de 16,7% no País.
– Fotos: Guilherme Baffi 13/5/2021

DIÁRIO DA REGIÃO

Comments
Loading...